segunda-feira, 8 de junho de 2015

Diário de Elisa - Parte 6

Sonhos que talvez nunca vamos realizar mas são sonhos e sonhar faz tão bem a alma. Meu deus que santa ignorância achar que não vale a pena sonhar, que não vale a pena pois vale sim. A nossa vida não pode ser só de sonhos ate concordo sim porque além de sonhar devemos lutar para que eles realizem. Eu mesma posso dizer por mim mesma sou sonhadora sou sim, sou ate mais sonhadora que o normal deveria ser. Mas pera ai quem liga né. O importante é saber que nos meus sonhos tudo da certo sabe. Posso ate confessar uma coisinha para vocês eu tenho meu mundinho e nele as coisas dão super certo para mim, mas quem ai não tem? 
A vida real as vezes é dura demais com a gente, mas eu sei que é  importante acordar para realidade. 
Eu acordei para essa realidade o mundinho que tirou o Damon de mim, que levou ele embora. Mas essa história vocês não conhecem ainda né, então vou contar para vocês.
Era quinta-feira a tarde, eu estava me arrumando para ir para faculdade quando recebo uma mensagem dele com o seguinte conteúdo "Preciso conversar com você, é importante e preciso." Eu então respondi "Vou descer agora, me pega na praça" então acabei de me arrumar e desci como se eu fosse para faculdade, o carro preto dele estava lá entrei no carro e notei que ele estava muito apreensivo. Confesso que não entendi porque, então saímos para conversar, ele parou o carro na beira da rodovia, o ônibus que levava o pessoal para faculdade passou e com ele veio a noite. 
Estamos ficamos olhando por horas um para cara do outro, era exatamente 22:30 e só ai começamos a  conversar e ele me disse que precisava ir embora, eu não acreditava no que eu estava ouvindo. 




Como assim ele estava indo embora, ele bagunçou a minha vida e agora estava indo embora. Eu sai do carro bati a porta e fui andando, ele saiu do carro e perguntou aonde que eu estava indo. Eu disse que eu estava indo embora, se ele quis se podia ir. Ele veio ate mim e disse que eu precisava entender, que não estava sendo fácil para ele também. Eu não quis entender nada e disse "vai embora, vai lá. Foge. Foge de mim ou sei lá do que. Covarde!". Ele então segurou nos meus braços bem forte e disse: " Você não entende, eu acabei com sua vida, eu destruí ela e você ainda quer que eu fique" Eu o abracei e disse: "Fica por favor fica, por favor fica" e ele não ficou, ele sumiu como fumaça. 
Naquele instante meu mundo desabou, e eu desabei no chão. Comecei a chorar. E não passava uma pessoa, um carro, um animal sequer. quando vejo um clarão muito forte parar  na minha frente. Dele desce 3 homens. Um deles era o motorista do meu ônibus. Ele me olhou e perguntou o que eu estava fazendo ali, se tinha acontecido alguma coisa e eu só chorava. Naque instante parou uma moto e era a Rafa me perguntando o que tinha acontecido e eu só falava "O Damon, o Damon".
Ela então disse para o pessoal do ônibus ir, que ela cuidava disso. 
Eles perguntaram novamente se eu estava bem, e eu apenas balancei a cabeça. Ali ficamos por um bom tempo e a Rafa já sabia que ele ia. Ela tentou me convencer que era o melhor a se fazer nesse momento. Mas eu não entendia por que dessa maneira. 
Eu só fui entender mais para frente, mas isso é uma próxima história, que eu conto outro dia.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo