terça-feira, 28 de outubro de 2014

Paixão de Escola - Parte 5

Eu já tinha cansado de esperar, não entendia porque ele tinha feito isso comigo. Não pensei que ele só queria rir da minha cara, mas era isso que tinha acontecido, eu estava sentada e lá fiquei por um tempo e meio que do nada ele veio vindo,  já era bem tarde devia ser umas dez horas da noite, ele passou por mim e parou, olhou para trás e veio em minha direção, então ele se sentou do meu lado. "Você esta bem?" Ele me perguntou, então respondi "Depende do ponto de vista" ele olhou para mim com cara de que não entendeu, foi ai que eu disse: " Bem eu cheguei nessa cidade, não conhecia ninguém. Ate que um cara me chamou para ir em uma festa no sábado a noite, eu então resolvi ir porque ia ser bom conhecer gente. Ai eu fui almoçar e encontrei com esse cara, e ele reforçou o convite. Eu me arrumei e estava pronta as sete e ele tinha ficado de vim me buscar, mas ele não apareceu".
Ele ficou me olhando, passou a mão no meu rosto, pegou na minha mão, e começou a chorar. Eu não sabia o que fazer, tinha um cara do meu lado chorando, e eu não sabia o por que. Então perguntei "O que foi?' Ele olhou para mim com o rosto cheio de lagrimas e me respondeu: "Me perdoa por ter te deixado esperando, mas tive que resolver uma coisa" Ai que apareceu uma galera vindo do fim da rua, pareciam que viam da festa, alguns vieram com copos que parecia que estavam com cerveja, veio algumas meninas com o sapado nas mãos, e olhas descalço mesmo. E foi ao que o Breno passou na frente de todo mundo e veio correndo e gritando "Leandro, Leandro, como você ta cara?" E ele soltou a minha mão e levantou, foi em direção a sua casa onde todo o pessoal parou, e eu fiquei observando de longe sem entender nada. Aquele povo todo entrou na casa do Leandro, ate que o Breno entrou e saiu, vindo em minha direção, olhou para mim, e sentou ao meu lado, e disse: "Bizarro né?" e eu sem entender nada disse "Oi? Bizarro o que?" Ele então respondeu: "Ue você não esta sabendo?" e eu disse: "Não, o que aconteceu com o Leandro??" "A mãe dele foi atacada na mata do parque Alffe, e não resistiu e a faleceu." "Nossa, que triste. Mas o que ela estava fazendo lá?"
ele me disse "Bom ela é guarda no local e a um tempo que vem acontecendo esse tipo de ataque por lá" Eu fiquei completamente sem reação, eu havia perdido a minha mãe ha 3 anos, por um ataque parecido, eu sei bem o que era. Foi ai que ele disse: "Você devia ir lá conversar com ela" Eu fiquei meio sem graça, mas resolvi ir.
Chegando lá, vi algumas pessoas na sala e outras na cozinha, e ele estava sentado lá fora e eu fui indo ate ele e disse que queria conversar com ele. Ele olhou para mim e pediu para que eles deixa-se a gente sozinhos, e foi ai que a gente começou a conversar, eu disse para ele que sentia muito, e que sabia bem como era perder uma mãe porque havia perdido a minha ha 3 anos atrás e que eu estaria ali para o que ele precisa-se. Foi ai que ele me abraçou, e me disse que não sabia o que fazer, para onde ir ou correr, e ai que ele me lembrou a época mais difícil da minha vida, a morte da minha mãe.
Ele percebeu que eu fiquei meio mexida e tentou mudar de assunto, mas eu não quis mudar, e contei para ele como tinha sido, depois de contar ele já estava em lagrimas e eu também, a gente se abraçou e ficamos ali olhando um ao outro.


Continua..




Nenhum comentário:

Postar um comentário

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo